terça-feira, agosto 14

Grito

Teoricamente, nós falamos para sermos ouvidos. Certo?
Mas será que nós sempre falamos com a intenção de sermos ouvidos?
Eu acredito que sim. E mais, acredito que falamos, queremos ser ouvidos, mas acima disso, queremos ser ouvidos por alguém.
Mas não por qualquer alguém, e sim, um alguém especial.
Nós não saimos por aí falando verdades para o vento, nem para ouvidos perdidos. Mas nós queremos atingir um certo ouvido pelo caminho. E seja lá quantos ouvidos aquelas palavras chegarão, só um ouvido importa, saca?

Eu mesma, escrevo aqui porque quero que as pessoas leiam.
Não só para algum perdido que surge por aqui, mas para pessoas especiais, pessoas à quem as vezes escrevo inconscientemente (ou não).

Se eu quisesse apenas desabafar, compraria um caderno ou um diário, escreveria várias bobagens lá, o esconderia e pronto. Ninguém, jamais saberia de nada.
Mas quando eu venho aqui e escrevo, estou partilhando com vocês, deixando minhas idéias, desejos, minhas fantasias, tudo isso para ser lido e compreendido (ou não) por alguém (ou por ninguém).
Estou querendo que alguém, ou alguém o leia.

E, daí eu me pergunto, se consegui o que queria.

Será que todas as pessoas fazem isso? De sair por aí escrevendo/falando porque querem ser lidas/ouvidas? Por que querem atingir um alguém? Por que sabem que atingirão alguém?

Isso tudo é tão confuso. Complexo, vago, confuso... Mas simples nunca.
E eu quero ser ouvida, quero atingir as pessoas. Cada uma de uma forma diferente, por motivos diferentes e com intenções diferentes.

Mas será que eu consegui alguma vez?

Até outra vez, quem sabe...
Outro dia... outra hora... outra vida, quando formos gatos.

Um comentário:

Grazzi disse...

Siiiim Bele
vc conseguiou atingir um alguem
e meu,eu li os seus tres post.Caramba,mó tempo q eu não pasava aqui,pensei q nunca iria voltar ao normal o blog pra mim =/
mas anyway
vc foi "ouvida" e está aqui meu coments x0
hihihi
beijão