quarta-feira, dezembro 10

Pontapé Inicial

Tudo precisa de um começo.
Seja uma troca de olhares, um simples "oi", o título ou apertar o play. Ou ainda como intitula esta postagem, o pontapé inicial antes de uma partida.
E é exatamente isso que tem me faltado para postar: o pontapé incial. Muitas vezes eu até tenho uma coisa em mente para escrever aqui, ou me surpreendo perdida em pensamentos que renderia um post... Mas acabo sempre me dando conta de que o que está faltando é início.

Por onde começar, como fazer, todas essas coisas simples e fundamentais. Sem dizer ainda das vezes que eu comecei (até que bem) e me perdi num meio sem final. Isso sim é frustrante.
Olhando agora para a página de edição de postagens eu percebi como eu faço rascunhos! A grande maioria é lixo, alguns até tem uma parte ou outra aproveitável e outros que precisam apenas de uma lapidada para serem publicados.

Outro grande problema nesse tempo todo sem postar é que eu acabo falando demais. Sério, a minha boca deveria ter o triplo do tamanho de tanto que eu falo. E nem estou dizendo do fato de falar 156461 palavras por minuto (pra ajudar, eu falo rápido e preciso repetir a mesma frase, no mínimo, três vezes. Mas não sou eu que falo rápido! Como eu já cansei de dizer, são as pessoas no geral que possuem um raciocínio lento e, se eu falar mais devagar pra essas pessoas me entenderem de primeira, eu acabo esquecendo do desfecho da frase e perdendo o meu raciocínio. É um problema estar à frente do meu tempo), estou me referindo ao fato d efalar mais do que deveria. Sabe, sempre acabo deixando escapar aquilo que deveria ser um Segredo de Estado. E o pior é que nem é fofoca ou coisa assim. São coisas minhas, que deveriam estar guardadas no mais profundo subsolo interior de mim mesma (?). Então acho melhor mudar o rumo da conversa (conversa? Isso é um monólogo, isso sim) antes que eu fale alguma besteira.

(...)

Legal, uma aranha gigante e monstruosa apareceu aqui e quis me devorar, no maior estilo Lullaby do The Cure. Mentira, era uma daquelas aranhinhas pequenas, pretinhas e branquinhas que todos falam "ah, elas não fazem nada, fica calma", mas eu acho que elas são seres repugnantes e me deixam estática e com medo. Tanto as grandes como essas menores, "inofensivas". Inofensivas, sei... Elas têm 8 patas! Aranhas são horrorosas e eu só não saio correndo daqui porque preciso terminar essa postagem antes que eu desista como fiz várias vezes. Consegui espantá-la com a régua e agora só preciso voltar para onde eu estava antes da intrusa aparecer (Mas socorro! Ela está voltando e

(...)

Bom, ela voltou e pulou na tela do micro. Nem preciso dizer que saltei da cadeira e chamei minha mãe pra me socorrer. Aquilo que eu havia dito antes sobre ficar e terminar a postagem era besteira. Primeiro eu sobrevivo, depois eu penso em escrever algo.
E, droga, a aranha (que segunda minha mãe "é bebêzinha e não faz nada") conseguiu fazer com que eu me perdesse na história e me fará voltar ao princípio de tudo, que era não ter um começo. Bom, mas eu tive um começo, só me perdi do meio pro final, o que é - se não me falha a memória - o segundo problema que eu venho tendo com postagens. Sem dizer que o fato de ter sido interrompida por ela me fez perder a linha de raciocínio, o que remete ao que eu disse sobre tentar falar devagar e me perder no final.

Sendo assim, acho que o infortúnio da aranha ter aparecido nem foi tão ruim assim. Fez com que tudo se encaixasse e tivesse um final, de certo modo, lógico.

3 comentários:

Cleonice disse...

Sério, sem zueira, eu já estava indo dormir, que é a única coisa que eu tenho feito direito nos últimos tempos (sim, já dá para imaginar o quão otimista eu estou, né? Não estou NEM um pouco deprimida, né?, mas, aí, meio que DO NADA, senti uma vontade de vir ao seu blog (mesmo sem saber se tinha atualização) só para falar que o nome dele é lindo, e eu sempre gosto de ficar repetindo MIL vezes "Where is my mind?" quando estou meio (completamente) perdida, como estou nos últimos tempos. Então, me deparei com esse post, que ficou foda. Sério, muito bom. E, é isso.

Sabe, eu estou pensando em adotar uma nova estratégia estilística: postar textos pela mentade no blog. Eu, assim como você, até começo escrever um tanto de coisa, mas, aí, vem o tédio, eu largo e sempre prometo que vou voltar para o texto um dia,mas não faço. E, quando faço, não consigo continuar.

"(pra ajudar, eu falo rápido e preciso repetir a mesma frase, no mínimo, três vezes. Mas não sou eu que falo rápido! Como eu já cansei de dizer, são as pessoas no geral que possuem um raciocínio lento e, se eu falar mais devagar pra essas pessoas me entenderem de primeira, eu acabo esquecendo do desfecho da frase e perdendo o meu raciocínio. É um problema estar à frente do meu tempo)" = EULIISSOTUDOMUITORÁPIDOSEMPARARSEMCESSARSEMVACILAR.

Enfim, beijos, moça. Tô com sono. Até.

Grazzi Evans disse...

E finalmente ela apareceu! E para falar da aranha ¬¬'
auahushau
Brincadeira.

Pô,Bele,até eu que tenho medo de aranhas,já peguei uma dessas na mão ;O!
Elas realmente não fazem nada,só pulam; mas não assustam ^^

A Bele,eu tambem tem vezes que não sei o que escrever.Sabe que eu acho? Que a melhor coisa para se falar em um blog é sobre sua vida de uma forma diferente ¬¬
sushdushdu
Nem sempre você encontra coisinhas interessantes para se falar =T

Beijos

Quim disse...

Fica todo esse tempo sem postar e vem falar de aranhas...

Aranhas...

puff


xD